Blog

Processo de recuperação após uma lesão no joelho
Saúde

28 Novembro 2019

Processo de recuperação após uma lesão no joelho

Processo de recuperação após uma lesão no joelho

O joelho é uma das articulações maiores do nosso corpo, do qual dependemos para nos movimentarmos, contudo, é comum o aparecimento de problemas, tanto em atletas como em pessoas que não realizem nenhum desporto.


A anatomia do joelho é bastante complexa formada pela extremidade distal do fémur e proximal da tíbia (articulação fémur-tibial) e do fémur com a rótula (articulação Patelo-femoral), possui também ligamentos e músculos que auxiliados pelos meniscos, estabilizam o joelho, amortecendo o impacto sobre as cartilagens.


 Fig. I - Anatomia do Joelho



No caso de uma lesão do joelho submetida a intervenção cirúrgica, a recuperação depende dos mecanismos lesados de acordo com a especificidade da lesão.


Vamos então explicar qual o processo mais adequado para uma recuperação da lesão, até voltar a iniciar uma prática de atividade física diária e autónoma.


Referir que todo o processo descrito, para que seja adequado e específico, deve ser multidisciplinar:
1ª fase: Médico/ Fisioterapeuta (fase mais clínica);
2ª fase: Fisioterapeuta/ Técnico de exercício físico (exercício clínico).


A 1ª fase (fase mais clínica) do processo de reabilitação, passa por um tratamento fisioterapêutico:
• Diminuição do edema;
• Diminuição da dor;
• Restauro da amplitude articular na flexão do joelho;
• Mobilização passiva do membro;
• Massagem;
• Treino de marcha/ deslocamentos, (com ou sem canadianas)
• Ganho de força/ estabilização nos músculos que envolvem o joelho, quer através de electroestimulação ou resistência elástica.


Este processo é realizado de forma gradual e acompanhado por um profissional de fisioterapia.



A 2ª fase (exercício clínico) é também um processo de reabilitação e deve ser realizado através da parceria do fisioterapeuta e o técnico de exercício físico, logo após readquirir capacidade funcional do joelho.


O suporte do técnico de exercício físico, visa a prescrição e acompanhamento de um programa de treino:
• Ganho de força e massa muscular;
• Equilíbrio Bipedal;
• Estabilização e equilíbrio das articulações proximal e distal (anca, tornozelo);
• Coordenação;
• Condicionamento físico;

O treino tem de ser o mais específico e individualizado possível de acordo com as particularidades de cada pessoa, de forma a tornar-se motivador, seguro e para que os resultados apareçam o mais rapidamente possível.


Nota final: o objetivo é que todos os profissionais se envolvam cada vez menos durante o processo de reabilitação, até que a pessoa consiga ser autónoma e continue a realizar a sua vida diária sem nenhuma limitação, nunca deixando de realizar exercício físico, pois ele é fundamental para a melhoria de vida de todas as pessoas, principalmente, daqueles que já apresentam um historial clinico mais grave.



Por Fábio Oliveira, Personal Trainer na Academia Bodylab