Blog

Perder peso: cárdio ou musculação?
Treino

10 Fevereiro 2018

Perder peso: cárdio ou musculação?

Perder peso: cárdio ou musculação?

Quero perder peso e agora? Devo fazer mais exercício cardiovascular ou devo fazer mais musculação? Qual dos dois me ajudará a queimar mais gordura?


Saber qual o treino que me ajuda a queimar mais gordura é o que realmente importa, pois, por vezes, a descida na balança corresponde não só à perda de gordura, mas também à perda de massa magra e de água.


Mas afinal, que tipo de treino devo fazer para perder efetivamente mais massa gorda?Eis a resposta: tudo depende da pessoa e do contexto.


Se falamos de um desportista que necessita de repetir constantemente um determinado movimento cíclico ou de ter uma elevada performance cardiovascular, devemos, naturalmente, prescrever um treino cardiovascular, mas que não descuide o planeamento do treino de musculação. Por exemplo, os atletas de grande parte dos desportos realizam, semanalmente, duas a três sessões de musculação, ao longo de toda a época desportiva.


Não devemos generalizar, mas a grande maioria das pessoas que vai ao ginásio pretende a perda de massa gorda e/ou alcançar um corpo escultural. E esses objetivos, ao contrário do que diz o senso comum, não se concretizam apenas com treino cardiovascular.


>> Clica aqui: PROMOÇÕES DE HOJE <<  


Um estudo curioso realizado em 2001 compara jovens divididos em três grupos: sedentários, praticantes de musculação (mínimo de três treinos de musculação por semana, perfazendo no mínimo 5 horas de treino) e atletas de provas de longa duração, este último grupo composto por atletas de corridas de longa distância, triatletas e ciclistas. Os resultados mostraram que os atletas e os praticantes de musculação tinham níveis de gordura muito similares (15,5% e 15,3% respetivamente), sendo que ambos tinham muito menos em relação aos sedentários (20,6%). Este estudo mostra-nos que não existe grande diferença na perda de massa gorda entre indivíduos que fazem musculação e indivíduos que fazem treino aeróbio. Existe sim uma significativa diferença no aumento ou na manutenção da massa magra naqueles que treinam com pesos.


Além de promover um gasto calórico elevado, o treino de musculação, quando bem feito – com a devida intensidade e ajustado à pessoa – pode mesmo chegar a gastar mais calorias que um treino de cardio. A par disso, a elevação no consumo de oxigénio no pós-exercício – passível de permanecer até dois dias a partir do final da sessão – pode conduzir igualmente a um maior gasto calórico após um treino de musculação.


Em suma, podemos perder peso com os dois tipos de treino. E como diz o próprio ditado “no meio é que está a virtude”. Um plano de treino que contemple a junção equilibrada e organizada de ambas as vertentes é, sem dúvida, a opção que registará os melhores resultados. Quer para a manutenção e aumento da massa magra, quer para a perda de massa gorda. E, mais importante do que tudo, jamais descurem a alimentação, porque 70% de um trabalho de perda de peso é feito no controlo alimentar.


Não posso deixar de relembrar que devem recorrer a um profissional da área para ajudar no aconselhamento do treino ideal e se possível na execução do mesmo. Noções de fisiologia, biomecânica e anatomia são fundamentais para a realização de uma prática desportiva de excelência e em segurança.


Por Sandro Silva | Personal Trainer 


Licenciado em Desporto e Educação Física, vertente de Treino Desportivo e de Alta Competição, pela Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto (atual FADEUP).

Atualmente, com 34 anos, trabalha há 15 anos como Personal Trainer (PT), atualmente no ginásio Breathe Sport Fitness.
Para além disto tudo, pratica Remo há 24 anos, sendo que esta é a sua verdadeira paixão. Já esteve na Seleção Nacional e foi Campeão Nacional na época passada (2017)



>> Este artigo foi útil para ti? Subscreve a newsletter. É grátis. CLICA AQUI  <<