Blog

Os benefícios do exercício físico na dor crónica
Saúde

05 Novembro 2020

Os benefícios do exercício físico na dor crónica

Os benefícios do exercício físico na dor crónica

A dor é uma perceção subjetiva e individual, é a forma que o nosso corpo encontra para sinalizar que algo está errado, sendo, desta forma, um elemento vital.


Designa-se de dor crónica, a dor que dura ou recorre por mais de 3 meses ou quando persiste para além do curso normal de uma doença aguda ou da cura da lesão que lhe deu origem. Esta surge quando há alterações nos processos de sensibilização central e periférica (aumentando a perceção da dor); nos processos de neuroplasticidade (podendo haver aumento da transmissão da dor no sistema nervoso); quando surge uma ativação persistente dos nociceptores periféricos; também pode ocorrer devido a fatores genéticos no que diz respeito à sensibilidade e à dor.


>> Clica aqui: PROMOÇÕES DE HOJE <<


A dor crónica afeta 20% das pessoas em todo o mundo. Ela é ocasionadora de morbilidade, incapacidade e absentismo, originando elevados custos aos sistemas de saúde, com grande impacto na qualidade de vida do doente e da família. O tratamento da dor crónica deve passar por um tratamento interdisciplinar, um tratamento multimodal, realizado por uma equipa multidisciplinar.


No que ao exercício físico diz respeito, dependendo da sua intensidade e duração, podem-se verificar muitos benefícios. Entre eles destacamos:


Efeito neuromodulador - atuando através de múltiplas vias sinalizadoras (neuroimunohormonal, metabólica, mecânica, etc.). O exercício físico, nas suas várias modalidades, exerce um efeito neuromodulador amplo, incluindo a modificação de mecanismos inibidores e facilitadores da dor.


Hipoalgesia - diminuição da sensibilidade dolorosa, aumento do limiar de dor e redução da perceção de dor (devido às repercussões sobre os mecanismos endógenos de inibição e facilitação da transmissão nociceptiva).


Influencia o Sistema Nervoso Central (SNC) - potencia a libertação de neurotransmissores (ex. dopamina, serotonina) e de fatores neurotróficos no cérebro e espinal medula; estimula a proliferação celular e a neurogénese no SNC; promove a ação anti-inflamatória; ajuda na gestão do stress físico e psicológico.


Melhora a condição física - aumentando a força, resistência e flexibilidade, melhorando assim a função nas atividades diárias e laborais, na saúde mental e na qualidade de vida.


O profissional do exercício físico ajuda as pessoas com dor crónica a desenvolver competências e estratégias para gerir e assumir o controlo da sua situação e a melhorar a sua condição física, aumentando a sua qualidade de vida. Do que está à espera para começar a treinar?


Por Susana Marques, Personal Trainer na Academia Bodylab


>> Este artigo foi útil para ti? Subscreve a newsletter. É grátis. CLICA AQUI  <<


Referências:

Souza J., Can exercise induce analgesia in patients with chronic pain? Rev Bras Med Esporte vol.15 no.2 Niterói Mar./Apr. 2009
A Revised Definition of Pain: IASP Revises Its Definition for the First Time Since 1979. REVISED DEFINITION OF PAIN TRANSLATIONS (2020) www.iasp-pain.org

Oliveira M; Fernandes R; Daher S. Impacto del ejercicio sobre el dolor crónico. Rev Bras Med Esporte vol.20 no.3 São Paulo May/June 2014

Willer JC, Bouhassira D, Le Bars D. Neurophysiological bases of the counterirritation phenomenon: diffuse control inhibitors induced by nociceptive stimulation. Neurophysiol Clin. 1999.

Koltyn K., Brellenthin A., Cook D., Sehgal N. e Hillard C. Mechanisms of Exercise-Induced Hypoalgesia J Pain. 2014 Dec.

Geneen L.; Moore R.; Clarke C.; Martin D.; Colvin L.; Smith B. Physical activity and exercise for chronic pain in adults: an Overview of Cochrane Reviews - Version published: 24 April 2017